A sonda Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO), da NASA, sobrevoou o local de pouso do módulo indiano Vikram na última terça-feira (17) para investigar o que teria acontecido com o o lander da missão Chandrayaan-2. Mas, infelizmente, a tentativa de localizar o módulo falhou, e as esperanças de encontrar o equipamento com alguma funcionalidade ativa diminuem a cada dia que passa.

Mas por que não conseguimos ver a sonda? Uma teoria, como a NASA sugere em um comunicado, é a de que o módulo de aterrissagem poderia estar escondido em uma cratera, sombreado da visão. As imagens, de acordo com a declaração, foram tiradas ao entardecer, quando as sombras projetadas pelo Sol cobrem grandes faixas da superfície lunar.

O local de pouso proposto fica a aproximadamente 600 quilômetros do Polo Sul da Lua. O LRO está programado para passar pelo local novamente em outubro, quando a iluminação será muito mais favorável, segundo a NASA.

Tentativa de pouso do Vikram

Em 6 de setembro, o módulo de pouso Vikram da missão Chandrayaan-2 tentou realizar a alunissagem próximo ao polo sul da Lua, quando os operadores da missão indiana perderam o contato com a nave. O Vikram estava a apenas 2,1 quilômetros de distância superfície lunar quando ficou em silêncio, e assim permanece desde então.

Embora o orbitador da Chandrayaan-2 já tenha avistado o Vikram de cima, e os operadores da missão continuem tentando restabelecer a comunicação, ainda não é possível determinar o que realmente aconteceu com o equipamento.

Graças à sonda orbital, que está funcional, a missão Chandrayaan-2 ainda está ativa. A sonda usa oito instrumentos para mapear a superfície lunar em detalhes, avaliar os aglomerados de gelo, entre outras tarefas, e continuará esse trabalho por pelo menos mais sete anos, de acordo com as autoridades da ISRO.