Uma pesquisa publicada em outubro deste ano na revista especializada Proceedings da Academia Nacional de Ciências (PNAS), realizada por cientistas do Departamento de Meteorologia da Universidade do Havaí, afirmaram: O aquecimento global do planeta irá impactar diretamente em eventos de El Niño cada vez mais intensos.

Dentro da pesquisa foi realizado uma análise dos últimos episódios registrados de El Niño para tentar descobrir se há qualquer relação com o aumento da temperatura global do planeta.

Com base na pesquisa, os cientistas relatam que o Planeta enfrentará eventos cada vez mais frequentes e extremos do fenômeno climático El Niño.

COMO FOI REALIZADO O ESTUDO?

Para conduzir a pesquisa, os cientistas analisaram 33 episódios de El Niño, os que ocorreram entre 1901 e 2017.

Eles se concentraram em sua origem, como se desenvolveram e no impacto que tiveram. Graças a isso, eles foram capazes de alertar que, desde os anos 70, a origem do ENSO vem se movendo da parte mais oriental para a mais ocidental do Pacífico, coincidindo com uma maior intensidade do fenômeno.
Entre as evidências encontradas, os cientistas descobriram que o exposto acima coincide com o fato das águas do Pacífico ocidental terem aquecido mais rapidamente do que as parte central do oceano por causa da atividade *antropogênica.

** Efeitos, processos, objetos ou materiais antropogénicos ou antropogênicos são aqueles derivados de atividades humanas, em oposição a aqueles que ocorrem em ambientes naturais sem influência humana.

ÚLTIMOS EPISÓDIOS INTENSOS
O El Niño tem sido especialmente intenso durante os anos de 1997-98 e 2015-16, quando a água da superfície do Pacífico chegou a 3 ou 4ºC a mais em relação à temperatura normal do oceano.

O QUE É O EL NIÑO?

Como você sabe, o ciclo climático El Niño é sobre a ocorrência de uma irrupção ocasional de águas quentes da superfície no Pacífico ao longo das costas do Peru e Equador, devido a instabilidades na pressão atmosférica entre as zonas leste e oeste do oceano perto da linha do Equador.

CONSEQUÊNCIAS PARA O CLIMA

O El Niño é um fenômeno que exerce grande influência sobre as condições meteorológicas e climáticas de muitas partes do mundo. Abaixo você verá como o evento afetaria as condições climáticas dos diferentes continentes.

EUROPA: Para especialistas sobre o assunto, os anos com o El Niño intenso são caracterizados na Europa, porque há invernos rigorosos, especialmente no leste do continente e na Rússia.
Dois bons exemplos são os de 1812 e 1941, em que ocorrem duas derrotas históricas: as de Napoleão e Hitler, com um inverno rigoroso no meio…

AMÉRICA DO NORTE: Como o El Niño desloca a corrente de jato subtropical que normalmente passa pela América Central para o norte, isso causa invernos mais chuvosos do que o habitual no sul. Por outro lado, os invernos tendem a ser mais amenos ao norte.
AMÉRICA DO SUL: A faixa que vai do norte do Chile ao Equador é certamente uma das áreas do planeta que sofre uma mudança mais importante nas condições climáticas. Com um El Niño intenso, as chuvas são geralmente muito intensas e o risco de inundações é alto durante toda a estação.
Chuvas fortes podem ser registradas no sul do Brasil ou no norte da Argentina. Por outro lado, para o nordeste do Brasil, é esperado um clima extremamente seco.
ÁSIA: O resfriamento do oceano nessa área faz com que países como Filipinas, Tailândia ou Indonésia sofram secas extremas.
ÁFRICA: Nesse continente, espera-se que as chuvas sejam intensas em áreas áridas, como a África Subsaariana, revertendo a tendência em áreas úmidas, como Madagascar e África do Sul.

Texto traduzido do site CAZATORMENTAS – La Web De Los Aficionados A La Meteorologia