Para a To The Stars Academy (TTSA), a organização de pesquisa OVNI fundada pelo ex-astro do Blink 182, Tom DeLonge, assinou um contrato com o Exército dos EUA no início deste ano para ter em mãos as tecnologias exóticas, as quais incluem “amostras de metamateriais sensíveis”.

Essas são as “ligas metálicas alienígenas” muito criticadas, as quais continuam surgindo em conexão com a TTSA, apesar de funcionários ligados à instituição insistirem que a palavra “liga” é imprecisa e suas supostas propriedades especiais nunca foram confirmados.

Em vez de encontrá-los nos restos destroçados de uma espaçonave extraterrestre, a TTSA adquiriu os ‘metamateriais’ da pesquisadora de OVNIs Linda Moulton Howe por US$ 35.000, para fins de estudos futuros.

O site Motherboard marcou uma entrevista com Moulton Howe, publicada quinta-feira. Ela diz que, por sua vez, adquiriu as ligas metálicas do falecido teórico da conspiração e apresentador Art Bell do programa de rádio Coast to Coast, juntamente com documentos supostamente escritos por um sargento do exército dos EUA, afirmando que as amostras foram encontradas pelo avô do sargento.

Segundo o Motherboard, Moulton Howe disse que os metamateriais flutuam se forem atingidos por uma onda eletromagnética forte o suficiente, como DeLonge afirmou anteriormente.

Ela disse:

Eles tinham uma peça e exploraram se os campos magnéticos faziam com que ela se transformasse em um corpo em elevação. Frequências diferentes.

Moulton Howe acrescentou que havia levado uma amostra da liga de bismuto e magnésio para análise ao Departamento de Magnetismo Técnico da Carnegie Science em 1996 – o qual, ela disse ao Motherboard, não foi capaz de demonstrar que era de fora do planeta. Ela também levou as amostras a Hal Puthoff, do Instituto de Estudos Avançados de Austinf.

Esse pesquisador é conhecido por seu trabalho em experimentos desmembrados de visualização remota para as forças armadas dos EUA e pelo envolvimento no Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais do Pentágono, a fonte de vários vídeos inquietantes de aviadores navais dos EUA que aparentemente encontram objetos voadores bizarros.

Motherboard obteve uma cópia de uma carta de 2012 de Puthoff para Moulton Howe, na qual afirmou que compartilhou seu desapontamento e que seus testes ‘não produziram um resultado interessante / anômalo nos testes que envolvem a aplicação de vários campos’. No entanto, Puthoff disse acreditar que testes adicionais usando equipamentos especializados podem produzir resultados mais interessantes, que aparentemente é onde o Exército entra.

Screenshot: Motherboard

A TTSA entrou em contato em julho de 2018, quando ainda estava tentando analisar o material, disse Moulton Howe ao Motherboard.

Ela disse:

Eles me ligaram e desseram: “gostaríamos de poder fazer um acordo em que você pudesse vir a San Diego e entregar a peça para nós. Temos um laboratório que temos certeza de que eles poderão fazer o teste de terahertz.

No entanto, a TTSA teve limitações de equipamento semelhantes. Moulton Howe disse que o ex-executivo da Lockheed Martin Skunk Works, Steve Justice, diretor aeroespacial da TTSA e diretor de operações, a chamou e disse que o Exército estava interessado em investigar.

Moulton Howe disse ao Motherboard, embora ela também acreditasse que o preço era ‘tão baixo que eles não podiam acreditar’ e que ela havia gasto US$ 2.000 por ano, simplesmente tentando analisar a amostra:

Eu não quero parar a ciência. E não quero interromper o que pode ser a única maneira de eles poderem testar isso.

O porta-voz do Exército dos EUA, Jerry Aliotta, emitiu uma declaração ao Motherboard confirmando que possui ciência avançada de materiais e recursos de pesquisa eletromagnética e que, se confirmado que as amostras possuem propriedades especiais, pesquisará imediatamente seu uso potencial em ‘aplicações em veículos terrestres’.

Relatórios anteriores enfatizaram que os materiais em poder da TTSA não poderiam ser mais do que escória industrial, com o Ph.D Chris Cogswell, anfitrião do Mad Scientist Podcast e engenheiro químico, dizendo ao Vice:

Foi sugerido que isso pode ser do processo Betterton-Kroll, um método de separação do bismuto do chumbo patenteado pela primeira vez em 1922.

Quanto às outras tecnologias, o contrato do Exército com a TTSA declara que a amostra pode ser estudada, como “redução de massa inercial, guias de ondas metamateriais eletromagnéticas, física quântica, comunicações quânticas e propulsão por energia irradiada”. Nenhuma palavra adicional sobre isso ou se isto está conectado a uma série de estranhas patentes da Marinha dos EUA, que variam de campos magnéticos de alta energia a reatores de fusão compactos. Alguns físicos expressaram imenso ceticismo em relação às patentes da Marinha, relatou o Drive, que parece se referir a tecnologias semelhantes às do contrato do Exército, mas poderiam ser estudos separados.

FONTE: OV