Já na época do Papa Pio XII, o Serviço Secreto do Vaticano sabia da aproximação de um planeta que poderia causar grandes estragos ou até mesmo eliminar toda a vida na Terra. Foi por esta razão que, em 1990, o Vaticano lançou o Programa Espacial Siloe, visando monitorar esse novo planeta. Dentro desse programa, foi construída uma sonda, na Área 51, longe dos olhos de cientistas civis, que foi levada por um avião militar Aurora, que pode viajar no espaço, levando sondas e satélites.

O objetivo era que essa sonda se aproximasse desse objeto celeste e colhesse o máximo possível de informações. As fotos da sonda Siloe revelaram um planeta muito grande, cerca de 10 vezes maior que a Terra, que está viajando em nossa direção. De acordo com o historiador Zecharia Sitchim, esse planeta X seria o lar dos Anunnakis, que criaram a antiga cultura suméria. Essa informação foi classificada como nível 1 (Secretum Omega) pelo Vaticano. Já o papa João XXIII, que ficou apenas 5 anos no papado, famoso por ter tido em 1961 um encontro com extraterrestres nos jardins do Castel Gandolfo, teria dito ao seu assistente, que “os seres extraterrestres viriam de longe, para conhecer os homens da Terra”.

Em 1995, o Grupo de Pesquisa do Observatório do Vaticano, iniciou a operação do VATT (Vatican Advanced Technology Telescope) no Monte Grahan, Tucson, Arizona, um dos mais importantes centros astronômicos do mundo, a mais de 3.200 m de altitude. Mais adiante, em 2010, entrou em operação o Lucifer1, a primeira de duas câmeras de infravermelho super refrigeradas instaladas no LBT (Large Binocular Telescope) e, dois anos depois, a segunda câmera. Esses telescópios estão sob os cuidados de cientistas da Ordem dos Jesuítas, em conjunto com astrônomos profissionais. Existem notícias sobre outro observatório similar no Alaska.

É importante não associar esse enorme planeta com o corpo celeste mencionado no livro do Apocalipse, pois lá é descrito um meteorito que se choca com a Terra e não um planeta que se aproxima. Há fortes indícios de que a NASA e o Vaticano sabem desse planeta X ou Nibiru e que ele vem sendo monitorado através dos potentes telescópios do Monte Grahan.