O Texto abaixo é uma reflexão sobre o poder do medo, somado com a ansiedade cria uma arma poderosa em nossos corações e mentes. Por isso, cuidado, com tudo que lê, assiste ou escuta. Tem muita coisa acontecendo e poucas são para esclarecer, na maioria é pra tumultuar ainda mais o que já está bagunçado…

O coronavírus é oficialmente uma pandemia global ; portanto, naturalmente, as pessoas estão alimentando suas ansiedades consumindo vorazmente filmes e livros sobre outros surtos .

Alguns deles têm semelhanças assustadoras com o que está acontecendo agora, levando algumas pessoas na internet a afirmar que certos contadores de histórias “previram” a disseminação do coronavírus.

O Livro “The Eyes of darkness

Um exemplo particularmente impressionante vem de um romance de suspense de Dean Koontz chamado “Os Olhos das Trevas”.

A descoberta começou a ser publicada em diversos sites e blogs no Brasil no começo de março de 2020 e deixou muita gente intrigada. De acordo com o texto que também foi compartilhado nas redes sociais, o livro “The Eyes of darkness”, lançado em 1981, teria feito previsões certeiras sobre a epidemia do coronavírus de 2020.

O romance, de acordo com o que se espalhou pela web, apresenta várias coincidências entre o novo coronavírus e uma arma biológica criada no roteiro pela mente do autor norte-americano Dean Koontz. Na história, o componente fictício Wuhan-400 é um micro-organismo desenvolvido num laboratório próximo da cidade chinesa onde surgiram os primeiros casos de pessoas infectadas por coronavírus e o nome do cientista (no livro), Li Chen, é o mesmo do cientista chinês que já publicou estudos sobre o coronavírus.

Na página de captura de tela do romance, um personagem chamado Dombey narra uma história sobre um cientista chinês que trouxe uma arma biológica chamada “Wuhan-400” para os Estados Unidos:

“Para entender isso”, disse Dombey, “é preciso voltar vinte meses. Foi nessa época que um cientista chinês chamado Li Chen desertou para os Estados Unidos, carregando um registro em disquete da nova e mais perigosa arma biológica da China. Eles chamam o material de ‘Wuhan-400’ porque foi desenvolvido em seus laboratórios de RDNA nos arredores da cidade de Wuhan, e era a quatrocentosa linhagem viável de microorganismos criados pelo homem criados naquele centro de pesquisa “.

Primeiro, vale ressaltar que na edição original de 1981 de “The Eyes of Darkness”, essa arma biológica foi chamada ” Gorki-400 “, em referência a uma localidade russa. O nome da arma foi alterado para “Wuhan-400” quando o livro foi lançado novamente em 1989, segundo o South China Morning Post .

No livro, o vírus tem uma taxa de mortalidade de 100%

Em um parágrafo posterior, o personagem Dombey continua dizendo que ninguém infectado pelo vírus sobrevive:

“E o Wuhan-400 tem outras vantagens igualmente importantes sobre a maioria dos agentes biológicos. Por um lado, você pode se tornar um portador infeccioso apenas quatro horas após entrar em contato com o vírus. Esse é um período de gestação incrivelmente curto. Uma vez infectado, ninguém vive mais de vinte e quatro horas. A maioria morre em doze. A taxa de mortes de Wuhan-400 é de cem por cento. “

Esse não é o caso do coronavírus.

As autoridades estimam que a taxa de mortalidade do vírus seja entre 3% e 4% em todo o mundo, com base nas informações que eles têm, embora esperem que esse número caia.

Então, embora Koontz possa ser um escritor cativante, ele não é psíquico.

NOTA DO AUTOR: Assim como em filmes como “O dia depois de Amanhã”, “2012”, desenhos como “Os Simpsons” entre outros que produzem referências no futuro que hoje, são realidades, temos este efeito chocante que parece revelar pessoas com dons proféticos, mas que, na verdade, são visionários, e com base nos seus estudos, cultura e visão de um efeito dominó e certeiro, sabem que o nosso futuro mostra algo tanto quanto, sombrio quando se trata de poder, dinheiro e mais poder..