Este modelo de avião secular, feito de ouro, é um dos inúmeros artefatos da primitiva Cultura Quimbaya, descobertos na Colômbia e até hoje mantidos no Museu do Ouro, em Bogotá, que detém a mais rica coleção de peças produzidas com o metal por inúmeras culturas indígenas da era pré-colombiana. 

Os aviões Quimbaya (ou aviões Tolima) são artefatos de ouro, encontrados na Colômbia e feitos pela civilização Quimbaya. Datados entre 1000 a.C e 1200 a.C., muitos representam desenhos de aviões modernos e são considerados artefatos fora do lugar (Ooparts) e inexplicáveis. Os modelos, medindo de 2 a 3 polegadas (5 a 7,5 cm) cada, são descritos na arqueologia convencional como retratando pássaros, lagartos, anfíbios e insetos comuns naquela região. Muitos ainda estão em exposição no Museu de Bogotá.

O que torna esses modelos de aviões tão incríveis é que eles são aerodinamicamente precisos. Em 1994, os engenheiros aeronáuticos alemães Peter Belting e Conrad Lubbers criaram modelos controlados por rádio de longo alcance sob escala desses artefatos. Eles provaram que os projetos voam com potência simples de hélice e potência de jato.

A surpreendente realidade desses artefatos se mostra quando se considera que o vôo mecânico não havia sido inventado até os vôos da Wright Brothers em 1903. Como então, poderiam os pré-colombianos de 1000 a.C., compreender os conceitos avançados de sustentação e projeto aerodinâmico? Esta era uma civilização que mal tinha desenvolvido a capacidade de usar ferramentas de bronze e ainda vivia em estruturas de barro e usavam o fogo para iluminação. (FONTE)