A iniciativa chamada de “O Grande Reset” foi lançada ontem (03 de Junho de 2020), pelo Fórum Econômico Mundial, e de 26 a 29 de Janeiro de 2021, haverá o que eles chamam de evento “Twin Summit” (Conferência Gêmea) em DAVOS (Suíça), onde o “Grande Reset” será apresentado ao mundo: Empresas (pequenos e grandes empresários), acionistas, Organizações Internacionais, e Políticos de todo o mundo e simultaneamente pessoas do mundo todo participarão online (por isso é chamada de “Conferência Gêmea”).

Aqueles (políticos, empresas, organizações e cidadãos) que não se adequarem ao esquema criado, chamado de ESG – (Ambiental, Social e Governança), “não cabem no século 21”, segundo palavras do próprio fundador do Fórum Econômico Munidal, Klaus Schwab.

Capa no site Oficial www.weforum.org/great-reset

Em lugar de realização, em 1992, de um Fórum Nacional, a direção do Inae promoveu uma Conferência Internacional sobre a Nova Ordem Mundial, que teve lugar em 13 e 14 de abril, no Rio de Janeiro.

A iniciativa se afigurou oportuna tendo em vista os objetivos de maior e mais dinâmica inserção do Brasil no comércio e nas finanças internacionais, bem como pelo desejo demonstrado pelo Governo de ter crescente e ativa participação na cena política mundial.

A Conferência, que contou com participantes dos Estados Unidos, da Europa, do Japão e da América Latina, além de autoridades e especialistas brasileiros e de membros do Fórum Nacional, desdobrou-se em quatro painéis:

Painel IPanorama da nova ordem mundial (expositores: Helmut Schmidt, ex-primeiro ministro da Alemanha Ocidental; Robert McNamara, ex-presidente do Banco Mundial e ex-secretário de Defesa dos Estados Unidos; Louis Emmerij, presidente do Centro de Desenvolvimento da OCDE; e Georgi Arbatov, diretor do Instituto dos Estados Unidos e Canadá da Academia de Ciências da Rússia);

Painel IIA reorganização da economia mundial (com dois subtemas: a) a internacionalização da produção e dos mercados e b) as tendências de globalização e regionalização e a terceira Revolução Industrial);

Painel IIIO novo equilíbrio político internacional: o sistema policêntrico e hegemonia nacional; Painel IV: A tendência à regionalização e as perspectivas dos países de industrialização recente. [FONTE]