Registrar tempestades elétricas não é algo incomum entre fotógrafos. Exige um pouco de conhecimento e técnica. No entanto, existem alguns tipos de relâmpagos muito mais raros e difíceis de fotografar, como por exemplo o sprite vermelho, que se propaga a mais de 80 km de altitude.

Os sprites vermelhos são descargas elétricas que ocorrem na alta atmosfera da Terra e estão associados a tempestades, mas não nascem nos mesmo tipos de nuvens que formam as chuvas. Na realidade, eles ocorrem na chamada mesosfera, a terceira camada da atmosfera localizada diretamente acima da estratosfera e abaixo da termosfera, a cerca de 80 km de altitude.

De acordo com o cientista Matthew Cappucci, especialista em raios da Weather Gang, alguns sprites vermelhos pode chegar a mas de 50 km de diâmetro, mas sua duração não passa de poucos milissegundos.

Segundo Van der Velde, cientista atmosférico ligado ao Laboratório de Aerologia da Universidade Paul Sabatier, na França, a primeira vez que o fenômeno foi observado foi no ano de 2001 em Porto Rico, pelo pesquisador Victor Pasko. A partir de então, até 2007 apenas 30 ocorrências foram registradas em todo o mundo, a maioria delas em alto-mar. Apenas duas foram registradas em áreas continentais e até 2007 nunca haviam sido observados nos EUA.

Com a popularização das câmeras de alta velocidade, principalmente voltadas à pesquisa científica, esse panorama mudou radicalmente e o registro de Sprites passou a ser muito mais fácil.

Sprite vermelho registrada pelo pesquisador Stephen Hummel, do Observatório McDonald, no Texas. A cena foi feita com auxílio de câmera de alta velocidade, capaz de fazer 200 frames em apenas 1 segundo. Crédito: Stephen Hummel, Observatório McDonald.

A foto acima, por exemplo, foi feita pelo cientista Stephen Hummel, ligado ao Observatório McDonald, no Texas, que registrou o fenômeno com uma câmera de alta velocidade, capaz de capturar cerca de 200 quadros por segundo. A cena foi feita em 2 de julho de 2020 e devido à velocidade de captura é possível observar a estrutura com grande riqueza de detalhes.

Formação do Sprite Vermelho
Embora haja muita teoria a respeito da formação desse tipo de fenômeno, o fato é que até agora ninguém sabe exatamente como se formam exatamente os sprites vermelhos, um dos mais intrigantes fenômenos elétricos que ocorre em nossa atmosfera.

Alguns descrevem os sprites vermelhos como similares aos fogos de artifício, como luzes dançantes ou chuveiros de raios.

Embora os sprites sejam mal compreendidos, os especialistas em descargas atmosféricos descobriram que normalmente eles são iniciados por um poderoso raio comum próximo ao solo, mas que segue em direção à alta atmosfera, onde é gerado o fenômeno. Segundo os cientistas, eles agem como uma espécie de mecanismo de equilíbrio que a atmosfera usa para descarregar a eletricidade residual que permanece acumulada.

Muito rápido e estranho
O fenômeno sprite é extremamente rápido e não leva mais de 20 milissegundos desde a formação até o desaparecimento, o que torna a caça a esses fenômenos bastante difícil. Eles podem se formar e sumir em apenas um piscar de olhos, dando ao observador a impressão de que “viu algo, mas não tem certeza”.

FONTE