Círculos surgiram na Chácara Santini, em Prudentópolis, no interior do Paraná em 2015. 

Os agroglífos, ou famosos, círculos das plantações, são desenhos geométricos que disputam atenção entre aficionados pela ideia do contato extraterrestre, fazendeiros com lavouras estragadas e pisoteadas, além da ciência que expõem o outro lado da moeda.

Quillfeldt é professor do Departamento de Biofísica da (UFRGS) e coordenador da disciplina de Exobiologia – área multidisciplinar da ciência que estuda a possibilidade de vida extraterrestre. Segundo ele, não existem provas científicas de que ETs existem. “A ufologia é uma indústria comercial. Os ufólogos são pseudocientistas que vivem de pseudo-evidências”, afirma.

“É a ‘prova’ de existência mais patética que já vi”, afirma o professor

O professor acredita ainda que a figura foi feita por mãos humanas, assim como, de acordo com ele, ocorreu na Inglaterra. “É possível fazer todos aqueles círculos usando uma estaca e uma corda. Os de Prudentópolis, por sinal, estão bem malfeitos. São uns ETs desleixados”, opina.

O outro lado
O ufólogo Ademar José Gevaerd, que afirma estudar o assunto há mais de 20 anos, discorda do professor. Ele visitou a propriedade rural na quarta-feira (7), após saber do caso pelo G1, e está convencido de que a figura é, sim, um sinal emitido por extraterrestres.

“Seria impossível alguém ou um grupo de pessoas fazer a figura sem ser visto”.

“Agroglifo é um tema de estudo, de investigação, de análise e não de achômetro. Ele [Quillfeldt], não tem autorização para falar sobre porque não foi até o local”, afirma. [G1]

Sendo alienígena ou não, qual a mensagem que as formas geométricas querem nos passar? O gaúcho Marco Valério de Santa Maria/RS diz ter revelado um dos famosos “crop circles” brasileiros:

Agradecimento: Marco Valério Ferreira Oppa