Este foi o maior bólido avistado no estado desde 2016

Um bólido iluminou o céu do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina no começo da madrugada de hoje, a 1h09 (hora de Brasília). Especialistas descrevem que se tratou de um superbólido devido a sua grande luminosidade que fez a noite se iluminar como se fosse dia por poucos segundos. Imagens divulgadas pela Brazilian Meteor Observation Network (Bramon), o bólido foi observado em diversas cidades da Metade Norte gaúcha e do Leste Catarinense. Na Serra Gaúcha, moradores de cidades como Veranópolis, Ipê, Antônio Prado, Nova Petrópolis também testemunharam o fenômeno por volta da 01h10min.
O bólido, explicam astrônomos, provoca uma claridade muito maior do que um meteoro do tipo fireball, além de vibrações. Há casos em que chegam a gerar estampidos sônicos com vibrações a ponto de as pessoas sentirem a terra tremer. A queda de um bólido dificilmente traz risco. Em regra, cai fragmentado e danos são raríssimos.
De acordo com o Observatório Espacial Heller & Jung, localizado em Taquara, foi o maior meteoro já registrado no Estado desde que o observatório começou a atuar em 2016. O tamanho do bólido ainda deve ser analisado, assim como sua velocidade, mas, de acordo com dados da Heller & Jung, cujo sistema cobre todo o Rio Grande do Sul, Uruguai, parte da Argentina, parte do Paraguai, Santa Catarina, Paraná e início de São Paulo, é a primeira vez que se registra um fenômeno de tamanha magnitude. Quedas de meteoros são fenômenos comuns, que ocorrem diariamente. De janeiro até início de outubro, por exemplo, a Heller & Jung já registrou mais de 11 mil meteoros de baixa magnitude na área de cobertura do observatório. E é natural que, com a queda, pessoas que avistaram o fenômeno tenham a sensação de explosão ou de tremores. Mas não houve relatos de danos até o momento.

Com informações da  MetSul, Rádio Gaúcha BRAMON – Rede Brasileira de Observação de Meteoros (Brazilian Meteor Observation Network).